Buscar

Óleo Essencial de Lavanda: Parte 2/3 - Principais características

A Lavandula angustifólia ou Lavandula officinalis ou Lavandula vera, conhecida como Lavanda Francesa, provém da família Lamiaceae e vem sendo utilizada há séculos pela humanidade através deóleo essencial ou flores secas nos banhos. Seu óleo essencial é produzido pela destilação de flores e folhas, ou somente de flores. No caso da perfumaria fina, utilizam-se somente óleos destilados de flores selecionadas e colhidas na época da polinização. Para uso em cosméticos skin care, utiliza-se destilação da planta inteira.

Planta arbustiva, ereta, de ciclo perene e que pode atingir até 1 m de altura, é de origem mediterrânea e cresce acima de 800 m de altura em clima frio e seco. O caule é curvado e torna-se lenhoso apenas após o segundo ano de vida da planta. Possui folhas numerosas, lineares e lanceoladas de cor prateada em razão da presença de finos pêlos que recobrem sua superfície. As flores são numerosas, de formato tubular e apresentam coloração variada, indo do roxo até tons de azul intenso.  Podem ser reproduzidas por sementes ou estaquias.

Esse tipo de lavanda é largamente cultivada no Sul da Europa, em princípio na França, Itália e Inglaterra. O termo lavandula é derivado do latim lavare, que significa limpar. 

Durante a Segunda Guerra Mundial, era aplicado como antisséptico nas feridas.  Não é raro nas residências francesas encontrar um frasco de óleo essencial de lavanda para uso na pele como calmante e até como remédio contra contusões, dores, machucados e queimaduras. É especialmente usada na perfumaria fina, como água de toucador, por causa de sua popular fragrância e aceitabilidade 

O óleo essencial de lavanda é o colo da mãe num abraço harmonioso, incondicional, afetivo e carinhoso.  É cuidar, é limpar.

Características e composição química do óleo essencial de Lavanda

Denominação botânica: Lavandula officinalis, Lavandula angustifólia, Lavandula vera

Processo de extração: Destilação a vapor

Coloração: Verde-clara, com toque amarelo

Viscosidade: Fina

Família: Labiadas

Nota perfumística: Saída/meio

Descrição olfativa: Fresco, doce, suave, floral, herbal, levemente frutal

Origem e cultivos: França, Inglaterra e europa em geral

Rendimentos: Só Flores: Cada 130 kg flores rende aprox. 1 litro de óleo essencial puro

Planta inteira: Cada 100 kg de planta rende aprox. 1 litro de óleo essencial puro

Palavras-chave e Uso: Estresse, relaxamento, insônia, tensão nervosa, tensão muscular, cólicas, dores, coceiras, eczemas, harmonização, repouso, limpeza de ambiente, cuidado, assaduras, feridas, pancadas leves, queimaduras leves

Óleo Essencial de Lavanda WNF -saiba mais

O óleo essencial de lavanda é composto por várias substâncias aromáticas e são analisadas e avaliadas por um equipamento que se chama cromatógrafo (cromatografia gasosa). Através dessa avaliação, podemos definir qualitativa e quantitativamente com exatidão, as moléculas e seus princípios ativos dermatológicos.

A construção bioquímica típica da Lavanda é estruturada da seguinte forma:

Ésteres (40-50%): Acetato de linalila, acetato de bornila, acetato de lavandulila, acetato de geranila

Alcoóis Monoterpênicos (25-35%):Linalol, lavandulol, terpineol-4, geraniol, alpha-terpineol, nerol, octanol-3

Monoterpenos (7-13%): Cis-beta-ocimeno, trans-beta-ocimeno

Cetonas (<3%): Cânfora, octanona

Sesquiterpenos (<1%): Beta-cariofileno

Óxidos (<1%): Eucaliptol

Cumarinas (<1%): Traços de cumarina

Provence-Alpes-Cote d'Azur, France

Estes componentes podem ter sua concentração alterada, dependendo do cultivo ou dos métodos de destilação, o que leva a qualidade e preços diferentes de mercado.

As principais ações destes componentes são:

Ésteres: Sedativa, tranquilizante, supressora do sistema nervoso, antiespasmódica e equilibrante. São agradáveis e muito aromáticos com notas de saída levemente floral

Alcoóis monoterpênicos: Bactericida, fungicida, antiinflamatória, hipertensiva, antisséptica, antiviral e estimulante do sistema imunológico

Monoterpenos: Antisséptica, antiinflamatória, sedativa

Cetonas: Tranquilizante, sedativa, hipotensiva, cicatrizante, anticoagulante e lipolítica

Sesquiterpenos: Hipotérmica, antiinflamatória e sedativa

Óxidos: Expectorante, viricida, mucolítico e bactericida potente

Cumarinas: Sedativa, anticoagulante e espasmolítica

Esse tipo de lavanda apresenta baixo índice de cânfora (até 0,5 %), ela tem alto índice de terpenos e sesquiterpenos e são excelentes para perfumaria fina e cosméticos dermatológicos.

O óleo essencial assemelha-se ao material lipídico, mas diferencia-se por ser destilável por vapor de água, dotado de aroma e estrutura química constituída de hidrocarbonetos terpênicos, monoterpênicos e sesquiterpenos, derivados terpênicos como os aldeídos, ésteres, óxidos, óxidos orgânicos, derivados de fenil propano, lactonas e cumarinas, entre outros.

Em breve publicarei a última parte dessa série sobre Lavanda, fiquem atentos ao nosso Blog. Até breve!

Créditos


Cristiane Pagliuchi da Silveira

  • Eng. cosmética, aromaterapeuta, osmóloga

  • Especializada em psicoaromaterapia, linguagem do corpo e terapias para pets

  • Diretora da empresa WNF

  • Idealizadora da loja conceito Aromastock com foco em aromas e aromaterapia

Fontes:

  • Oliveira; Gokithi, 1998

  • Corazza, Sonia, 2004

  • AMARAL, FERNANDO, 2015

  • BÜCHLI; TROTT-TSCHEPE, 1994

  • SOUZA; JUNIOR, 2009

30 visualizações

WNF - World's Natural  Frangances

SAC: (11) 3857-7790
2ª a 5ª das 8h às 18h e 6ª feira das 8h às 17h

E-mail: sac@wnf.com.br

© 2020 por @onebranding